[Intercom Norte 2013] E-books: qual o lugar dos livros no ambiente virtual?

Posted on Posted in Cinema, Comunicação, Intercom

Não há como negar que tudo parece estar se “virtualizando”. Na verdade, uma afirmação como essa pode até ser considerada ultrapassada, se pararmos para reparar como tudo parece ganhar (ou já ter ganhado) um formato digital.

Em outro post aqui do Blog PETCOM, já se trouxe a reflexão sobre o fim de uma era: será que tudo está sendo transferido para uma tela, para uma plataforma digital? Enquanto essa matéria falava do jornal impresso e do papel, no Especial Intercom de hoje, o PETCOM trata dos livros digitais – também conhecidos como e-books – no âmbito do ensino-aprendizagem, uma vez que pesquisas indicam que essa nova realidade está sendo absorvida paulatinamente pelas Instituições de Ensino Superior.

O processo de virtualização dos objetos faz com que seus nomes recebam este prefixo “e-”, caracterizando-os de eletrônicos, por isso e-book. Logo, o termo significa “livro eletrônico” ou “livro digital”, e diz respeito à disponibilização de um livro no formato digital, de modo que possa ser visualizado através de uma tela de computador ou de um dispositivo móvel.

É necessário estar atento ao fato de que livro digital não significa simplesmente digitalização de livros físicos. Segundo João Batista Bottentuit, “para ser considerado um e-book é preciso que sejam tidos em consideração alguns pontos importantes no que se diz respeito ao aspecto estético, gráfico e organizacional”.

Embora já se fale bastante a respeito desse formato, se reconhece ainda uma espécie de resistência dos leitores, devido às suas desvantagens. Afinal, mesmo que exista a facilidade de baixar livros através da internet, ou de carregar uma série de livros em um único dispositivo, a leitura dos e-books é mais lenta e cansativa, não é possível fazer anotações manuais, muitos livros ainda não possuem recursos de interatividade e o preço dos dispositivos ainda é bastante elevado, entre outros fatores.

Essas questões podem ser atribuídas ao fato de o livro eletrônico ainda levantar discussões infindas. Por exemplo, durante o 3º Congresso Internacional de Livro Digital, muito se discutiu de que não há um padrão dominante para e-books, e que existe uma necessidade do livro de se reinventar.

Pensando assim, é difícil não chegarmos à conclusão de que os livros digitais ainda são uma forma de experimento que está invadindo aos poucos o nosso cotidiano. Como Bottentuit conclui em seu artigo, os livros tradicionais ainda são os preferidos, mas isso se deve ainda à desinformação sobre as potencialidades dos e-books, e por isso o autor acredita que essa situação será revertida em pouco tempo.

Foi pensando nisso que o PETCOM não podia deixar de testar esse formato. Amanhã, apresentaremos no Intercom Norte 2013 o nosso primeiro experimento de livro digital, o Cinema de Animação – Guia de Referências, que tem como intuito reunir diversas fontes sobre o tema, para servir como material de apoio para discentes e docentes do curso de Jornalismo da UFAM. O trabalho concorre no Expocom, na modalidade Edição de Livro, e deve ser apresentado às 11h, na sala 3 da Unidade III da Faculdade Martha Falcão. Além disso, em junho, o livro fará sua estreia e ganhará um espaço aqui no blog para que todos os interessados tenham acesso.

Se quiser saber um pouco mais sobre livros digitais, aqui vão algumas sugestões de artigos:

Por Jéssica Amorim

(Visited 1 times, 1 visits today)
The following two tabs change content below.
Jéssica Amorim
Está tentando a vida no que a vida deixa, e no que não deixa também. Estudante do 7º período de Jornalismo e petiana desde junho de 2011.

Comentários

pessoas comentaram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *