Primeiro dia do Festival Alimenta Dança contou com o projeto “Macaco Nú”

Posted on Posted in arte, cultura, dança, Manaus

O Festival Alimenta Dança, produção independente organizada por Damares D’Arc, Denni Sales, Francis Madson e Francisco Rider, ocorreu na última semana, entre os dias 19 e 22 de setembro, reunindo diferentes performances, apresentações e discussões envolvendo não somente dança, mas a arte e a sociedade em geral. A convite de Francisco Rider, um dos idealizadores do projeto, o PETCOM UFAM realizou a cobertura do evento, e agora você pode acompanhar nossa série de posts especiais, com fotos e vídeos de vários momentos do festival e nossas impressões sobre as apresentações.

“O macaco pelado que tornou-se macaco culto e, consequentemente, o maior destruidor de sua própria casa.” (Morris, 1967)

O projeto baiano de dança e performance urbana “Macaco Nú” foi apresentado na última quinta feira (19/9), na Praça da Polícia (Heliodoro Balbi), inaugurando a semana de apresentações do Festival Alimenta Dança (FALD).

As bailarinas Milianie Lage Matos e Mab Cardoso, junto com os artistas amazonenses Ana Carolina de Souza e Odacy de Oliveira, construíram a apresentação por meio da realização de oficinas de dança e performance, vivências a partir de experiências com a cultura amazonense e trocas de experiências entre os integrantes do projeto e artistas locais.

De acordo com Milianie Matos, uma das idealizadoras do “Macaco Nú”, a proximidade com o cotidiano da cidade é indispensável ao processo de construção do projeto. “A cada dia o projeto se atualiza e ganha corpo. Aqui em Manaus os encontros nutrem os conceitos a partir das experiências da cidade, por meio das quais nos contextualizamos com a cultura local, seu ritmo, as relações intersubjetivas, sociopolíticas, e sua história”, ressaltou a bailarina.

9928120846_9410150313_b

A oportunidade de participar do Festival Alimenta Dança (FALD), segundo Milianie, surgiu através do convite de um dos produtores do evento, o bailarino e performer amazonense Francisco Rider. “O FALD é uma produção independente, gerida por processos colaborativos, e nessa perspectiva dialoga, naturalmente, com nosso projeto, proporcionando um ambiente de interações criativas atualizado aos contextos históricos globais”, concluiu.

A próxima cidade que recebeu o projeto foi Rio Branco (AC), no dia 24 de setembro, e em seguida, as bailarinas seguem para Salvador, finalizando o processo de circulação do “Macaco Nú”, projeto que conta com o apoio da Fundação Nacional de Artes (Funarte), Casa Fora do Eixo Amazônia e Coletivo Difusão.

Apesar do apoio, a intervenção urbana proposta pelo projeto sofreu limitações quanto ao uso da Praça da Polícia, em função das “regras” estabelecidas para uso do ambiente. Foi proibido o som utilizado pelo DJ Marcos Tubarão, responsável pela trilha sonora da apresentação, causando indignação e revolta nos artistas e no próprio público.

IMG_6524

O figurinista do projeto, Adroaldo Pereira, expressou sua opinião a respeito da falta de apoio da administração pública para projetos independentes e não convencionais:

[soundcloud url=”http://api.soundcloud.com/tracks/112481875″ params=”” width=” 100%” height=”166″ iframe=”true” /]

Confira as fotos da performance na nossa galeria abaixo:

Texto e fotos por Thaís Bentes

(Visited 52 times, 2 visits today)
The following two tabs change content below.
Thaís Bentes

Thaís Bentes

Minha vida, meus mortos, meus caminhos tortos, meu sangue latino. Estudante do 3º período de Relações Públicas e petiana desde agosto de 2013.

Comentários

pessoas comentaram

2 thoughts on “Primeiro dia do Festival Alimenta Dança contou com o projeto “Macaco Nú”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *