Sobre filantropia empresarial

Posted on Posted in reflexão, Relações públicas, sociedade

scr_258275_1342A partir dos anos 80 esse assunto passou a ser mais comum no Brasil, quando as empresas passaram a acolher projetos de responsabilidade social e essas ações se tornaram mais frequentes. O grande ponto seria o motivo das organizações realizarem esses projetos, que normalmente realizam algo que deveria ser feito pelo governo. Será que elas se importam realmente com a população? Ou é uma forma de se aproveitar dos menos favorecidos?

Quando penso nesse assunto fico um pouco incomodado. Minha opinião era que as empresas não têm essa obrigação, já que pagam impostos altos para o governo. Após a realização de algumas leituras sobre o assunto, percebo que pode ser uma forma de mascarar os males que essas organizações produzem para a sociedade, e não uma forma de ajudar a população. A partir do momento em que não for mais válido para a empresa, ela larga o projeto, deixando as pessoas que participam abandonadas.

filantropia

Sou a favor da responsabilidade social quando os projetos vão de acordo com os princípios da organização, pois quando não são, se tornam apenas uma forma de aparecer na mídia ou apenas de deixar a população menos favorecida dependente dessas ações. Dessa forma, essas pessoas nunca vão perceber os males causados pelas empresas e ainda as apoiarão. Um caso disso são as empresas que poluem as cidades, mas possuem vários projetos sociais para mascarar suas ações.

No meu ponto de vista, a filantropia empresarial é uma boa pedida, mas da forma legítima, onde as organizações fazem essas ações pensando no bem da sociedade, respeitando os seus valores e não visando somente seus lucros e estratégias de marketing para continuar em alta na mídia.

Por Tiago Calado

(Visited 45 times, 3 visits today)
The following two tabs change content below.
Tiago Calado

Tiago Calado

20 anos, estudante de comunicação, gosta de esportes, tem apreço por músicas e filmes nacionais e adora se comunicar. Estudante do 5º período de Relações Públicas e petiano desde agosto de 2013.

Comentários

pessoas comentaram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *