Transfixações Naturais: uma conversa sobre a técnica da sobreposição

Posted on Posted in fotografia, inovação

Neste mês de julho, os petianos dos cursos de Comunicação Social da Ufam têm agenda marcada com palestrantes de diversas áreas: Sascha Porto, Otoni Mesquista e Renato Brandão. Esses encontros fazem parte das estratégias metodológicas a serem realizadas para a segunda edição do Human Connection Project, a partir da leitura das imagens produzidas pela fotógrafa, jornalista e pesquisadora Inês Correa, como já falamos aqui no blog.

O primeiro bate-papo ocorreu no dia 16/7, com a estudante do 3º período de Jornalismo da Ufam Sascha Porto, para falar sobre a sua obra “Transfixações Naturais”. Fotógrafa autodidata, 26, libriana, Sascha começou a estudar fotografia em 2005. Em 2010, começou a fazer freelas com fotografia e a trabalhar em um estúdio de edição de imagens.

Sascha Porto, estudante de Jornalismo e fotógrafa.

“Eu me considero uma fotógrafa em formação. Ainda tenho muita coisa para desenvolver e estudar, antes de me considerar uma profissional.”

O trabalho fotográfico “Transfixações Naturais” conta com quatro fotos em preto e branco que retratam a natureza e a feminilidade, mesclando ambas em uma expressão de libertação. Foi produzido no período de um ano, sendo apresentado em uma exposição no ICBEU (Instituto Cultural Brasil Estados Unidos), em 2010. A conversa se deu em dois momentos: na primeira parte, Sascha apresentava as fotografias e comentava, uma a uma, sua concepção da foto discutida, o processo de construção, a forma como utilizou a sobreposição em cada uma delas e, logo em seguida, os petianos comentavam suas próprias impressões. Durante essa primeira parte, os petianos perceberam a individualidade de cada um ao observar uma única foto, várias interpretações e sentimentos diferentes ao analisar as fotografias.

“Eu queria trabalhar com o conceito de feminilidade e natureza, através da sobreposição”, disse a fotógrafa, sobre a exposição.

Na segunda parte, por sugestão da aluna Thaís Bentes, a dinâmica foi diferente: os petianos apresentavam primeiro as suas interpretações e, em seguida, a fotógrafa comentava o processo e os conceitos. Sascha exibiu ainda outro trabalho fotográfico, com imagens que na maioria das vezes não mostravam o rosto do fotografado, trazendo assim, uma certa curiosidade da parte dos estudantes que analisavam.

Confira abaixo os comentários de estudantes de Jornalismo e Relações Públicas:

“Pela maioria das fotos que nos foi apresentada até o momento, parece que a Sascha quer nos “poupar” de algo. Propositalmente existe alguma coisa que a gente não capta, seja um olhar, uma expressão, ou até mesmo uma visão. Embora fique a dúvida se ela quer nos “poupar”, ou nos causar um certo incômodo.” (Jéssica Amorim, estudante do 7º período de Jornalismo)

“Eu achei muito interessante como ela apresentou as imagens que ela tinha feito na exposição. Cada participante do projeto pensava de uma maneira diferente, cada um via de uma forma que não necessariamente era igual ao que ela quis passar. Achei interessante essa interação que a gente teve com ela.” (Tiago Calado, estudante do 5º período de Relações Públicas)

Como as imagens que foram recebidas foram construídas através da técnica da sobreposição, chamar Sascha para conversar sobre isso é fundamental para que os integrantes do Human possam entender o processo, facilitando o desenvolvimento do novo material audiovisual para o projeto, bem como para que todos os petianos possam exercitar a leitura de imagens nos mais distintos suportes.

Por Joana Rebouças e Thaísa Lima
Fotos de Thaísa Lima

(Visited 13 times, 1 visits today)
The following two tabs change content below.
Thaísa Lima
"Um demônio de temperamento. Mas que mulher, meu amigo, que mulher!" ~ Ímpetos de escrever e comunicar com eloquência. Estudante do 3º período de Relações Públicas e petiana desde abril de 2012.

Comentários

pessoas comentaram

One thought on “Transfixações Naturais: uma conversa sobre a técnica da sobreposição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *