As mulheres de Game of Thrones

Posted on Posted in Mix Cultural

(O TEXTO A SEGUIR PODE CONTER SPOILERS DA SEXTA E SÉTIMA TEMPORADA DE GAME OF THRONES)

Dragões, mortos-vivos, gigantes, deuses do fogo, homens sem face e corvos com três olhos. Todos esses são seres que você pode conferir na aclamada série da HBO, Game of Thrones. Assim como essas criaturas podem parecer dominar a série em diversos momentos, as suas personagens femininas também surgem como figuras imponentes que merecem reconhecimento em suas respectivas trajetórias.

Quando você coloca no Google as palavras “mulheres de game of thrones” logo aparecem listas com títulos do gênero “as mais gatas de game of thrones” “as mulheres mais sexys de game of thrones”. Isso faz parecer que essas personagens não são  mais do que atrativos visuais, quando na verdade desempenham um papel que vai muito além disso.

No decorrer das, até então, seis temporadas, Games of Thrones acumulou uma sequência de polêmicas sobre a violência gratuita presente na trama, principalmente em cenas de estupro envolvendo personagens do sexo feminino. Apesar de uma discussão sobre este tema ter se iniciado entre diversos grupos de espectadores, a justificativa utilizada é que o cenário da série é violento e por consequência, mulheres se tornam vítimas deste elemento. O que provavelmente soluciona a presença dos estupros, mas continua deixando uma dúvida sobre as cenas de nudez exacerbadas.

Apesar de todo este debate, a sétima temporada da série promete não apenas diálogos e cenas marcantes entre mulheres, como também o protagonismo na maioria de seus cenários. Afinal, dentre as principais lideranças, apenas uma pertence a um homem, Jon Snow.

Mulheres no Jogo dos Tronos

A sétima temporada de Game of Thrones estreia no próximo dia 16 de julho e aqui estão listadas algumas personagens femininas mais emblemáticas na história dos sete reinos e que prometem mudar os rumos da série.

Iniciando pelo Norte do mapa, mesmo com a pequena participação, é preciso falar sobre Lyanna Mormont. A menina de apenas 10 anos comanda a casa Mormont. Em suas breves aparições, Lyanna mostra a determinação e atitude necessárias para assumir a liderança que lhe é dada. Nos livros, as mulheres de sua casa são reconhecidas como grandes guerreiras e na série isto é representado pelo protagonismo da jovem. Apesar de não prometer mudar totalmente os rumos da história, Lyanna é mais uma personagem presente no Norte, que influencia diretamente nas escolhas de Jon Snow e que com certeza, continuará com seu forte posicionamento.

Outra personagem nova e, uma das maiores evoluções durante a trama, é Arya Stark. Desde nova se mostra uma menina que foge ao comum e ao que lhe é mandado. Questiona seu papel como mulher e simpatiza com práticas destinadas aos homens na sua época. Arya, com muitos erros e acertos, é um dos maiores exemplos de autonomia dentro da série. Apesar de em determinados momentos estar em situações onde não existem tantas escolhas, de todos personagens da série, ela foi a que mais percorreu diferentes cenários, porque escolheu sair dessas situações.

Ao analisar a trajetória de Arya é possível realizar uma reflexão sobre qual o real objetivo da personagem. Apesar do desejo de vingança estar claro, Arya não agiu de forma totalmente impulsiva, por mais que possa parecer muitas vezes. No final da sexta temporada, ela aparece finalmente iniciando sua vingança contra as pessoas presentes em sua lista. Seus próximos passos são realmente incertos, presume-se que continue em busca de todos aqueles que prometeu se vingar. Mesmo que seja possível sua volta para Winterfell é improvável ver uma personagem tão independente se fixar em sua antiga casa e esquecer o que foi seu objetivo durante muito tempo.

Agora, mudando das casas do Norte para as casas presentes na capital, é preciso falar sobre Cersei Lannister. Em toda a série foi provavelmente a personagem que mais trouxe à tona diálogos impactantes, questionando o papel feminino que lhe foi atribuído. A rainha, desde que se entende por gente, foi criada para assumir essa posição, se tornando a esposa perfeita – papel que sempre gerou conflitos com seu caráter.

A trajetória desta personagem se torna importante à medida em que ela assume a postura de protagonista. Um dos primeiros momentos em que os espectadores deslumbram as justificativas para sua personalidade é durante a batalha da água negra. Nesse momento, no final da segunda temporada, em meio a todo caos presente em uma guerra, Cersei narra o papel das mulheres. Apesar de muitas vezes vista apenas como a mãe dedicada, a nova rainha de Westeros traz um pouco mais de complexidade para a história, principalmente ao retratar a comparação do tratamento entre ela e outros personagens masculinos, como seu próprio irmão.

Cersei, mesmo com uma das histórias mais tristes dentro da série, ainda consegue ser um dos personagens mais odiados pelo público. Isso ocorre porque ela segue firme em suas convicções e, muitas vezes, ignora as possíveis consequências que possam surgir. Além disso, muito de sua trajetória não foi mostrada durante a série. Portanto, tudo aquilo que o público não quer que aconteça com personagens queridas como Sansa Stark ou Margery Tyrell (se casar com um marido ruim, passar vergonha diante do povo, ser subordinada a outros) já ocorreu com Cersei e nada disso foi exatamente exposto na série.

Quando se fala sobre Cersei é possível lembrar de suas péssimas (ou nem tanto) escolhas da última temporada. Ela ganhou o título de rainha pelas piores consequências possíveis, e uma delas ocorreu por ir contra outra grande personagem feminina da série, Olenna Tyrell. Apesar de Margery também ser uma boa representante desta casa, suas intenções não foram realmente executadas durante a série e agora já não existe mais essa possibilidade.

É claro que se Margery representou esperteza em sua forma de lidar com o jogo dos tronos, muito disto se deve a figura forte de sua avó, com quem sempre passava tempo e pedia conselhos. O que no início parecia ser apenas uma personagem sem maiores escrúpulos, apresentou uma inteligência e experiência importante para a série. Foi capaz de mudar o destino de sua neta e da série ao planejar a morte Joffrey Baratheon.

Sempre munida de opiniões fortes e um humor ácido, a personagem de Olenna é construída a partir de uma forte figura feminina. Apresenta inteligência para articular o assassinato de um rei sem levantar maiores suspeitas, enfrenta seus inimigos cara a cara e arrisca-se ao planejar uma vingança. Além de tudo não se deve esquecer que Olenna também é a atual representante dos Tyrell, e leva consigo a liderança da casa que possuiu os suprimentos necessários para fomentar uma guerra.

No final da sexta temporada, a última cena envolvendo a única representante da casa Tyrell na série a coloca junto com possíveis aliadas que também estão em busca de vingança contra Cersei. Uma trama que deve ser desenvolvida no plano paralelo às principais histórias e que será uma importante peça no jogo dos tronos. As novas aliadas de Olenna são as serpentes de areia, as filhas bastardas de Oberyn Martell com Ellaria Sand, habitantes de Dorne. Apesar deste núcleo na série se tornar extremamente diferente dos livros, como as próprias personagens exibidas de forma superficial, Tyene, Obara e Nymeria Sand ainda se mostram importantes figuras de poder.

Nos últimos capítulos da temporada, a liderança de Dorne foi para as mãos de Ellaria e suas filhas, resultado da vingança que teve como motivação a morte do príncipe Oberyn. Nestas cenas, as serpentes de areia se mostraram fortes guerreiras e grandes calculistas, características que Ellaria também possui. Isto é possível pois Dorne possui certa independência das outras casas, possuindo também uma política diferenciada. Oberyn assume as personagens como filhas, mesmo que não carreguem o sobrenome Martell, e permite que sejam treinadas para lutar.

Mudando de cenário, uma personagem que possívelmente estará envolvida na mesma aliança que Olenna Tyrell e Ellaria Sand é Yara Greyjoy, filha das ilhas de ferro. Mesmo como uma personagem secundária, Yara sempre mostrou liderança e autoridade na casa Greyjoy, assim como a confiança de seu pai. Com a morte deste, Yara é a líder presente para assumir o nome Greyjoy. Apesar deste acontecimento ter sido atrasado pela aparição de Euron Greyjoy, tio de Yara e Theon, isso não a impediu de criar um plano e uma aliança com outra importante personagem da série.

A trajetória de Yara também possui diálogos poderosos e uma presença significativa dentro da série. Torna-se uma figura feminina de poder entre diversos homens, posição que seu irmão Theon não possui capacidade para assumir. Durante suas últimas ações da temporada, Yara decide realizar uma aliança com Daenerys Targaryen, o que não é uma situação exatamente fácil, mas na qual consegue ser bem sucedida devido a sua liderança e determinação.

É claro que a mãe dos dragões não poderia ser excluída da lista  das grandes personagens de Game Of Thrones. Daenerys foi uma das figuras que teve a história desenvolvida durante a série, por isso todos aqueles momentos que não foram mostrados sobre Cersei, por exemplo, estiveram presentes na trajetória desta personagem. Logo no primeiro episódio, Daenerys é mostrada ao lado da figura de seu irmão, uma representação que a diminui, sendo utilizada como massa de manobra para que ele alcance o trono.

Um dos momentos principais na história da Khaleesi é o confronto com o seu irmão, ao mostrar que ela dominou uma situação na qual ele a colocou, e que isso o torna subordinado a ela. A partir deste momento em diante, Daenerys se torna maior protagonista de suas ações, e utiliza suas perdas como forma de aprendizado para decisões futuras.

Com tantas personagens femininas bem desenvolvidas durante a série, é possível esperar uma sétima temporada com bons enredos e ótimas participações vindas dessas e outras personagens. Apesar de existir um elenco masculino muito presente durante a série, a força feminina se mostra mais importante do que nunca para os próximos capítulos. Portanto, agora o que resta para a série é investir nessas ótimas histórias e deixar de lado toda nudez, estupro banalizado e determinados estereótipos femininos. Afinal, Game Of Thrones possui grandes personagens que vão muito além das narrativas comuns sobre mulheres.

Menções Honrosas: Ygritte e Brienne de Tarth

Apesar de sua história ter acabado na quarta temporada, Ygritte foi uma personagem feminina de destaque durante a série, mesmo sendo mal explorada em diversos momentos. A selvagem vivia entre o povo livre ao norte da muralha. Em sua história protagonizada ao lado de Jon Snow, ela domina as cenas com respostas rápidas e ótimos diálogos ao defender o estilo de vida pelo qual optou.

E por fim, uma das melhores personagens femininas, Brienne de Tarth. Até então não está prometendo mudar tanto o rumo dos próximos acontecimentos, mas é uma figura que merece reconhecimento por sua construção de personagem e presença ao longo da série. Brienne não se restringe a ser apenas julgada por sua aparência, desenvolvendo habilidade na luta além de seu caráter e fidelidade demonstrados em diversos momentos.

(Visited 199 times, 4 visits today)
The following two tabs change content below.
Rebeca Almeida

Rebeca Almeida

Filha da greve. A não graduada. Mãe dos releases. Rainhas de entrevistas. Rainha dos deadlines e dos primeiros roteiros. Quebradora de caracteres. Senhora das sete redes sociais. Khaleesi dos bloquinhos. Primeira do seu nome.
Rebeca Almeida

Posts Mais Recentes por Rebeca Almeida (Ver Todos)

Comentários

pessoas comentaram

One thought on “As mulheres de Game of Thrones

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *