A Casa da Física

Posted on Posted in Sala de aula

Você já pensou em como seria aprender química fazendo, na prática, uma lâmpada ascender utilizando materiais como água e sal? Ou lançar um foguete feito de garrafa pet para aprender física? Esse é o objetivo do projeto Casa da Física: ensinar de uma forma fácil e prática as matérias da sala de aula para alunos do ensino fundamental e médio.

A dificuldade como válvula inicial

Inicialmente idealizado para ser um curso preparatório para a Olimpíada de Física, o projeto começou a ser pensado também como um reforço escolar. Nessa preparação possíveis talentos poderiam ser encontrados.  Os estudantes que começaram a procurar a Casa da Física eram, predominantemente, alunos com dificuldade em matemática e física.

Essas dificuldades que existem não só no Amazonas, mas em todo o Brasil, acabaram transformando o projeto em uma iniciativa não apenas de reforço. Nela, as disciplinas são apresentadas de uma forma diferenciada da que se vê em sala de aula.  Assim, os laboratórios se transformam em um instrumento fundamental para o processo de ensino e aprendizagem.

“O laboratório é uma ferramenta já estabelecida por todos os pesquisadores da área de ensino como um aliado indispensável que deve ser usado pelo professor, pelo educador, para transmitir conhecimento”, afirma a coordenadora do projeto Casa da Física, Daniela Menagon. Ela acrescenta que é essa a metodologia que eles adotaram. “O projeto conta com uma gama de experimentos que podem e são utilizados”, diz.

Igor Souza, aluno da Casa da Física, afirma que o conhecimento adquirido dentro do projeto auxilia bastante o processo de aprendizado na escola. “Quando chegar ao final do ano, no Enem ou em um trabalho em que esse conhecimento seja requisitado vai estar me ajudando muito”, declara o estudante.

A essência inicial da proposta de preparação para a Olimpíada Brasileira de Física (OBF) continua. O projeto conta com um grupo de estudantes monitores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), que prepara alunos do ensino médio para as Olimpíadas de Física e de Astronomia.

O bom filho à Casa torna

Segundo Daniela, é interessante observar que a Casa da Física acaba proporcionando um ciclo virtuoso único. Muitos dos alunos que frequentaram o projeto no ensino fundamental e médio acabaram ingressando nos cursos de Física, Engenharia, Matemática e Química.

“Hoje eles voltam para a Casa da Física como monitores, ou seja, eles estão devolvendo para a sociedade aquilo que receberam quando passaram por aqui: uma ajuda para ver a ciência com outros olhos”, diz Menagon. Para ela, é essa a grande magia do Projeto.

 

A Casa da Física está aberta não só para os cursos de exatas

Os alunos monitores da Casa da Física são todos acadêmicos da Ufam. Eles doam seu tempo e compartilham conhecimento sem nenhum ganho financeiro. Hoje, o projeto conta com graduandos dos cursos de Química, Física, Matemática, Engenharia da Computação, História, Espanhol e Libras. Recentemente, alunos do curso de Psicologia estiveram no projeto dando oficinas para orientar qual a melhor maneira de ensinar pessoas com déficit de atenção.

Quer ser um monitor?

O processo de seleção para monitor é simples. O candidato deve preparar uma aula de acordo com a área de ensino. Posteriormente, a aula e o desempenho do participante serão analisados.

Entre os critérios de avaliação, será considerado se o estudante possui a didática adequada e se tem condições para lidar com uma turma do ensino fundamental ou médio.  Se não for o caso, a coordenação do projeto não irá proibir sua participação. Será realizado um processo contínuo onde o candidato se acostume, aos poucos, com o ambiente da sala de aula. O participante irá vivenciar as aulas como um ajudante e após um período poderá assumir uma turma.

A ideia de “enfrentar” a sala de aula é algo que faz diferença lá na frente para os alunos de licenciatura, segundo a coordenadora. Daniela Menagon comenta que muitos se formam sem essa convivência com a sala de aula: “Eles têm as disciplinas de prática de ensino, de estágio supervisionado, mas não é aquela realidade dele ser o professor da turma, dele entrar na sala de aula e ter o comando”. No dia-a-dia, dentro das salas de aula, os monitores são supervisionados por outro professor, que é o professor da turma.

Redes sociais

Acompanhe o projeto pela fanpage no facebook. Lá você fica informado sobre a abertura das inscrições para os alunos do ensino fundamental e médio das redes pública e privada. Na fanpage você também fica por dentro das principais novidades.

Veja outros posts!

(Visited 92 times, 2 visits today)
The following two tabs change content below.
Karem Canto

Karem Canto

Ela se irrita fácil, sempre tão orgulhosa e exigente. Ela gosta de se sentir livre. Meio esquisita, sabe? Do tipo que vai além de falar sozinha, e para ela isso é tão normal. Mas sabe aqueles momentos de puro bom humor, sorrisos bobos, palavras sinceras e eterna ouvinte? Acredite, todos eles compensam...
Karem Canto

Posts Mais Recentes por Karem Canto (Ver Todos)

Comentários

pessoas comentaram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *