Por que você deve assistir SKAM?

Posted on Posted in Mix Cultural

A premissa de Skam (“vergonha” em norueguês) é algo que todo mundo parece já ter ouvido em algum lugar: “Web série que acompanha o cotidiano de adolescentes enfrentando os dilemas existentes nessa época da vida”. Mas se engana quem acha que a série para por aí, pelo contrário, ela vai muito além de qualquer clichê.

Dirigida por Julie Andem e ambientada na Noruega, cada temporada foca em um personagem diferente. A trama lançada em 2015 aborda, de forma inteligente e irreverente, temas importantes para serem discutidos, porém, delicados dependendo da forma de como são apresentados.

A interatividade com o público e o modo como as cenas e os personagens são construídos se aliam muito bem e favorecem a identificação do público com o show. Para entender tudo isso, nada melhor do que explorar algumas das principais citações dos personagens ao longo das quatro temporadas da série.

(tradução livre: Antes de você encarar essa batalha, antes de você se atrever lutar por quem você é, você deve ser muito cuidadoso em se considerar acima do orgulho gay)

Isak é um dos personagens que possuem um dos arcos mais interessantes da série. Na terceira temporada, ele é o foco principal da história. Durante os episódios, Isak começa a entender melhor a sua sexualidade. Quando se apaixona por outro garoto ele passa por todas as fases dessa descoberta, desde o processo de negação, autoaceitação, até a revelação aos seus pais e amigos.

Durante esse período, acontece um diálogo muito importante entre ele e Eskild, um amigo com quem divide a casa e que é gay assumido. No momento em que Isak diz que não quer ser associado com a imagem de quem é gay e fala, por exemplo, sobre Kim Kardashian, gostar de roupas femininas, usar maquiagem e ir às paradas de orgulho LGBT, Eskild diz que são essas pessoas com quem ele não quer ser associado que lutaram e lutam para ser quem querem ser. Elas que garantem que os direitos de todos os LGBT’s sejam respeitados e que pessoas, como ele, consigam nos dias de hoje ter a coragem de se assumir do jeito que são.

Esse diálogo é um reflexo da sociedade contemporânea. Todo o preconceito com quem é homossexual, por muitas vezes, está concentrado no estereótipo machista de que tudo que está associado de alguma maneira com a imagem feminina, é algo considerado fraco e inferior e que não merece o devido respeito por “não ser coisa de homem”. Esse acontecimento é fundamental para a autoaceitação do personagem.

(tradução livre: Então se você ouvir qualquer um usar religião para legitimar o seu ódio, não os dê ouvidos porque ódio não vem da religião, vem do medo)

No decorrer dos episódios, uma questão bastante explorada é o islamismo. Sana sempre está envolvida em debates que envolvem a religião. Quando questionada por Isak sobre como ela encara a homossexualidade sendo muçulmana, Sana tenta mostrar os verdadeiros valores que são cultuados pelas pessoas que seguem a religião islâmica. Ela evita que ele e qualquer um que esteja a sua volta tenha uma visão distorcida e mal interpretada dos ideais que eles valorizam. Além de frisar que o islamismo não deve ser usado para justificar discursos de ódio, violência e o desrespeito.

(tradução livre: Quando tudo parecer perdido viva um dia de cada vez. E se um dia for demais, viva uma hora de cada vez. E se uma hora for demais, então viva minuto por minuto)

Ainda na terceira temporada, o ship preferido do público é formado. Isak começa um relacionamento com Even, e além de todos os percalços que ele enfrenta para assumir o namoro, o personagem descobre que o seu namorado tem transtorno de personalidade. Depois de uma crise sofrida por Even, ele vê o relacionamento ir por água abaixo. Assim como vários personagens da série, Isak está longe de ser perfeito. Como qualquer outra pessoa ele tem alguns problemas em aceitar o diferente e aos poucos passa por um processo de aprendizagem que molda as suas atitudes e julgamentos sobre outras pessoas.

O show consegue apresentar muito bem todos esses dilemas e desmistifica a bipolaridade como um bicho de sete cabeças. Ao mostrar, de forma sutil, todas as preocupações e nuances de uma pessoa que possui esse tipo de transtorno e o seu envolvimento com outra pessoa, a série consegue passar a mensagem de que não há obstáculos quando você ama e zela pelo bem estar de alguém.

Even e Isak
(tradução livre: Pessoas experienciam coisas horríveis todos os dias, e eles, ainda assim, conseguem ser bons com os outros)

Noora é uma mulher independente, segura de si e que possui os seus valores muito bem definidos. Porém, se apaixona por um rapaz que é totalmente o oposto de tudo o que ela acredita. Isso confunde a sua mente e coloca em prova o que ela acha certo e errado.

Com o tempo, Noora percebe que para gostar de alguém não é preciso abandonar a sua verdade, os seus princípios e o seu modo de agir. É importante que você aceite a outra pessoa como ela é. Mas não significa que você deve apoiar tudo o que o outro acredita e deixar de apontar alguma atitude que considere errada.

(tradução livre: Guerra não começa com violência. Começa com desentendimentos e preconceito. Se você diz que é a favor de um mundo repleto de paz, você tem que entender o porquê do jeito de agir e pensar dos outros)

Nessa citação, Noora não consegue aceitar a forma como o namorado agiu, violentando outro rapaz. Ela não entende o porquê dele pensar que a violência é uma solução e não agir do jeito que acredita ser o mais aceitável. Tentando explicar que a tolerância é a principal forma de lidar com as outras pessoas, Sana fala sobre o quão importante é entender os modos agir e pensar que são diferentes dos seus. Não é certo tentar impor para outra pessoa o seu modo de ver o mundo, já que tudo depende do contexto social no qual ela foi criada e dos valores e princípios que acredita. Tolerância se iguala ao respeito, e o respeito é a principal forma de vivermos socialmente bem e de não deixar o egoísmo se sobressair sobre as nossas atitudes.

Sana é uma das melhores e mais queridas personagens da série. Muçulmana, ela é dona de uma personalidade forte e de um modo de pensar e agir muito claro. Frequentemente, ela aparece aconselhando outros personagens.

(tradução livre: A sua opinião significava mais do que a minha própria e não é assim que deve ser)
(Eu tenho que descobrir qual é a minha opinião. E eu tenho que fazer isso sozinha)

Eva é uma das personagens que mais amadurece no decorrer da série e isso se deve principalmente ao término de um relacionamento. Enquanto namorava, Eva, por muitas vezes, deixou a insegurança tomar conta de si e se fez extremamente dependente do namorado. Isso refletiu diretamente nas suas ações e no seu modo de ser. Ela idealizou um “namoro perfeito” e viveu por outra pessoa de tal forma que a impediu de pensar por si própria, ter as suas opiniões e tomar as rédeas da sua vida.

Esse tipo de comportamento é comum em muitos relacionamentos. Eva mostra como é bom e necessário que cada um tire um tempo para se conhecer melhor e definir o que é realmente importante para si, no que acreditar e o que se quer em uma relação.

“We live in a society because we need each other. People need people” (tradução livre: Nós vivemos em sociedade porque precisamos um do outro. Pessoas precisam de pessoas.)

A amizade é o fio condutor da web série. Em diversos momentos da trama, os problemas conseguem ser resolvidos ou suavizados graças a um conselho importante dado, a alguma atitude em favor de outra pessoa e ao apoio fundamental que cada personagem presta um ao outro. Isso está presente em um texto escrito por Noora e é essencial para a libertação da personagem que passa por momentos angustiantes e desesperadores ao enfrentar um caso de assédio e abuso sexual.

O “girl squad” formado por ela, Sana, Vilde, Eva e Chris é um exemplo de que a amizade é uma das coisas mais bonitas que podem existir entre as pessoas. Cada uma demonstra durante os episódios o apreço que possuem umas pelas outras. Isso é mostrado seja tentando impedir que alguém sofra ou estimulando a confiança e o amor próprio que cada pessoa deve ter.

(tradução livre: É interessante que você que se descreve como feminista, está insultando outras mulheres)

No debate com Vilde sobre o fato dela julgar e insultar outra garota que se apaixona por um garoto comprometido, entra em discussão algo que é visto com muita frequência: mulheres contra mulheres. A série preza muito pela união feminina, defesa e apoio que cada uma deve ter com a outra, principalmente em uma sociedade extremamente machista.

Dessa forma, Skam consegue apresentar situações bastante comuns na adolescência, com uma linguagem ideal para os jovens e sem utilizar um didatismo exagerado. Tudo isso de uma forma descontraída que possibilita a abertura para o debate e a reflexão sobre assuntos relevantes, como religião, homossexualidade, transtorno bipolar, feminismo e outros elementos universais que compõem as fases do que é “ser adolescente”.

 

(Visited 134 times, 18 visits today)
The following two tabs change content below.
Pedro Vinícius

Pedro Vinícius

Mais de 3 meses e 4 dias assistindo a seriados incríveis (e contando). Desde criança quis ser jornalista mesmo nem sabendo o que a profissão fazia. Sonha em ter a autoestima da Susana Vieira e com algum ônibus que vá pra UFAM vazio.
Pedro Vinícius

Posts Mais Recentes por Pedro Vinícius (Ver Todos)

Comentários

pessoas comentaram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *